9 de maio de 2012

Impressão

É estranho não saber se o que se quer encontra eco no lugar que antes parecia tão comum. O reflexo era quase exato e nem precisava forçar a visão para observar que o sentir se fazia presente na saudade ausente do dia a dia. Quem diria que tão rapidamente tudo se transformasse no que o novo oferece. Mesmo que voltasse na tentativa de um caminho refeito, parece não mais tão simples. Talvez nem seja isso e só a impressão seja suficiente para criar a imagem de que nada se sente. No entanto, o silêncio que se estabelece e já é tão insistente que não parece ter fim. Mas, enfim, quem dirá o que o próximo amanhecer trará. Que seja um dia após o outro. Um de cada vez e, enquanto for possível, vive-se com esse talvez. Quando o limite vier, que seja a decisão tomada logo e com o máximo de sensatez.

Um comentário:

  1. Às vezes é só impressão... o melhor é ir aproveitando todos os momentos, sem desperdício...

    Beijo carinhoso.

    ResponderExcluir