16 de agosto de 2011

Sem coragem

O dia começou com aquela sensação estranha. Sabe como é um daqueles piores momentos de ansiedade que acontece quando o telefone ali do lado nem parece ficar na iminência de emitir um som qualquer ou se mexer? E quem não sabe o que é aquele movimento repentino que promove o reflexo da luz da sala no visor e faz o coração palpitar? À sombra dos olhos, os números quase se embaralham diante da visão fixa que espera, espera, espera. Separado das mãos, o dedo se apoia quase no start para começar vida nova. Mas sabe como é, não é? Melhor deixar para depois, para a hora certa. Afinal oportunidade não vai faltar. Mulheres, muitas vezes, pensam assim. Preferem guardar o que está insistindo em saltar por conta da insegurança de um julgamento alheio. Ou quem sabe pela falta de coragem de dizer o que a boca está preparada para descarregar e aliviar os ombros em tensão. Ou talvez pelo medo do não. Essa tão pavorosa palavrinha que não costuma fazer parte do vocabulário feminino na função de agente da ação. O não na forma passiva é até mais que comum. Afinal aquela que não estiver acostumada a dizer não que levante a mão. "Não, obrigada", "Não vai dar", "Não posso", "Não quero", "Não sei", "Não acho uma boa ideia", "Não sei o que dizer". E lá vem e vai o não por todos os lados a encerrar diversas questões. Mas eis que a pouca coragem que ainda tentava se esconder tomou fôlego e apertou o botão. Ao silêncio dos ouvidos, tocou, tocou, tocou. Quase quando o nervoso se esquivava sorrateiramente, veio de repente a resposta na ponta da linha: "Hoje não há como ser, nem de noite, nem de dia". Foi-se tudo assim a angústia, o desejo, a tensão. Pelo contrário, surpreendentemente, permaneceu um pouco da alegria. De quem faz com coragem e nem sabia.


4 comentários:

  1. LU,

    sabe de uma coisa?

    Está na hora de você pensar em colocar esta cabeça fantástica para voar mais alto.

    Eu tenho certeza , pelo que venho lendo de você - e acompanhando sempre que posso - que, está prontinha para escrever um livro.

    Prontinha.

    Acredite!

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  2. Obg pela visita...depois volto pra tomar chá, vinho, papear... Bj*

    ResponderExcluir
  3. Insegurança... ahhh que pedra no caminho da vida de muitas pessoas... Menina, o não, você já tem! Você precisa dar a cara a tapa e batalhar o sim!!! Isso sim é atitude de mulher, e digo mais, sem machismo algum, ATITUDE DE PESSOAS FORTES! Julgamentos? Até Jesus passou por isso... Pessoas pequenas julgam e pessoas menores ainda se abalam com elas! Vá em frente mulher!!! Sua vida passa diante dos seus olhos, escorre pelos seus dedos e você continua prostrada mediante ao medo! Tsc Tsc Tsc... Mexa-se!

    ResponderExcluir
  4. nossa nem sei comentar so espero qo fim n esteja proximo.

    bjos...

    ResponderExcluir