22 de agosto de 2010

Mas quem é?

Abracadabra e a magia se expandiu no tempo exato em que a curiosidade suportou o ainda desconhecido. Preencheu de rumores o que andava vadio e inexpressível. Sacudiu a mesmice ensimesmada de talento intacto e impenetrável. Como num passe de mágica, o movimento uniforme fez daquele quadro extático a inverdade da vida. Parado no tempo. Retido no momento passado que lhe tirou do equilíbrio. Mas que medo imbecil que lhe tolhia de viver o imprevisível. Foram esses pensamentos que lhe brotavam da mente e lhe faziam revirar em si mesma. Estirada no sofá frio, com os pés jogados numa altura que ultrapassavam os olhos, entrava num transe onde debatia consigo mesma de que valia aquele todo sufocado pelo nada que lhe impunha. Nada de suspirar. Nada de arriscar. Nada de sufocar. Nada de expressar. Nada de arremeter. Nada de viver. Ou de sobreviver. Virara o poste acesso e óbvio da esquina da sua casa. Virara o fio que transmite uma eletricidade sem sair do lugar. Virara o transformador que transformava energia em dádivas mas que não as aproveitava. Mas que alma lhe sobrara? Mas que resgates lhe restavam? Levantou-se e foi ver seus olhos no espelho da sala. Eles fugiam de si, não se encaravam, não se enxergavam ali. Assustou-se ao perceber que não se via, não tinha a imagem de si na memória. Era a súbita e constante tentativa de aniquilar-se. De deixar-se só. Mesmo assim, havia alguém à espreita. Não sabia se escondia-se à esquerda ou direita. No entanto, estaria por ali e viria de algum lugar. Provavelmente não iria demorar...

6 comentários:

  1. Lu,

    Essa sensação de não mirar os olhos, quando olhamos no espelho, sempre acontece quando procuramos o equilíbrio interior.

    Beijo imenso, menina linda.

    Rebeca

    -

    ResponderExcluir
  2. nesse "outro" há milhares e todos vão dar no mesmo - o ser...
    seu texto me chegou como convite ao mergulho profundo, auto-conhecimento de quem vê além de espelhos e vive o estrahamento que induz à luz...

    literatura é isso aí... perfeita
    grato

    ResponderExcluir
  3. "Nada de suspirar. Nada de arriscar. Nada de sufocar. Nada de expressar. Nada de arremeter. Nada de viver".
    MEU DEUS!

    por vezes ja tentei,mas ao olhar no espelho............havia ainda brilho no olhar e la no fundo a certeza que ainda ha MUITO o q sentir e viver,no amplo sentido da palavra.

    Sua capacidade em falar coisas de calam e me fazem suspirar e rever ,revelando-se é INCRIVEL

    afagos de admiração

    ResponderExcluir
  4. Lu,

    O acolhida das suas palavras sempre são abraças por nós.

    Beijo imenso, menina linda.

    Rebeca

    -

    ResponderExcluir
  5. passei uma noite de amor,uma madrugada de continuidades,
    de desejos e sensações
    e tentei transcrever em poucas linhas essa noite inteira.
    Apareça
    e tenha uma ótima semana.
    bjs. pra vc.
    Maurizio

    ResponderExcluir