11 de julho de 2009

João Pedro

Não sei se todo mundo acredita na vida após a morte, como eu, mas acho que muitos já devem ter tido a nítida impressão, durante o sono, de voar num passeio pelo ar, de encontrar com aquele que não está mais aqui, de ver claramente uma situação que acontecerá no futuro, de se sentir carregado no colo. Comigo acontece assim. Fecho os olhos e parece que me transporto para a outra dimensão. O ar é mais leve e, com isso, voar acaba se tornando mais fácil. Bato os braços como se fossem asas, mas ainda não consigo grande voos ou me manter por tanto tempo no ar. Sou, então, carregada por braços cintilantes, que me seguram com leveza indefinível. No rosto, sinto a brisa fria beijando minha face com a quentura de um coração pulsante. Lá de cima, vejo a cidade brilhante e ainda se movimentando na noite que escurece. Logo passo por nuvens acima de mim e me deparo com nova cidade. Casinhas simples, jardins coloridos, pesssoas andando para lá e para cá. Numa agitação diferente, sem pressa, sem correria, sem desespero. Meu pouso não é tão simples. Sinto-me desequilibrar e o amparo vem ao meu encontro. Meus pés tocam o chão, mas é como se não tocassem. Não tenho que caminhar. Deslizo. A sensação é boa, mas sinto um entorpecimento em mim. Meus olhos veem tudo, mas pareço estar num ritmo mais lento, com o som abafado ecoando de vários lugares. Sou levada a um lugar bonito e, debaixo de uma árvore, um senhor me abraça forte. Recebo carinho de todos e, logo em seguida, esse senhor mostra um menino que me estende os braços. Vem ai, bem dentro dos meus ouvidos, o nome João. Entendo que ele se chama João, mas gostaria que se chamasse Pedro. Pedro. Prefiro. Então que seja João Pedro, dizem. Sim. Gostei, respondo. Meu sorriso é largo e meu corpo se torna ainda mais leve. A partir daí as lembranças se perdem e me sinto voltar rapidamente para meu lugar. Até hoje guardo na memória aqueles braços pequeninos que se lançam na minha direção.

10 comentários:

  1. João Pedro é o nome do meu filho.
    =)

    ResponderExcluir
  2. Dizem os entendidos no assunto, que a presença de uma criança nos sonhos, é um bom sinal.
    Também, voo enquanto durmo. Uma vez me assustei. Pensei que não voltaria. Outra hora te conto com mais detalhes.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  3. Lu, fui criada dentro da doutrina espirita e tento seguir, tento pq é quase q impossivel ela é pura perfeição.

    Voltando ao seu sonho, acredito em reencontros sim atrvés dos sonhos...Tenho sempre longas conversas com a minha Dinda (vo) em sonhos e tenho certeza que são reais.


    Beijos flor!

    ResponderExcluir
  4. Olá, Lu

    conheço pouco do espiritismo, mas acredito que esse pode ser um filho que ainda virá. Quem sabe?

    Beijo

    ResponderExcluir
  5. estas coisas acontecem mesmo. incrivel.

    bjossss...

    ResponderExcluir
  6. Sim, sempre que braços pequenos são lançados em mim fico assutado. Imagine você estar andando à noite e alguém lança pequenos braços de pigmeus da Austrália em seu rosto, não é uma experiência muito aprazível.

    ResponderExcluir
  7. Lu,

    Tantos sonhos reais que ficamos na dúvida se aconteceu de verdade ou não. Esse sonho além de forte, foi marcante. João Pedro teve sorte de ter conseguido entrar no seu sonho.

    Beijo grande, menina linda.

    Rebeca

    -

    ResponderExcluir
  8. O Néctar da Flor oferece um selo DIGA NÃO AO PLÁGIO! Somos originas, porque somos únicos. Cada ser um humano tem uma emoção individual. Por mais que as palavras e os pensamentos sejam parecidos, não temos o direito de pegar algo de alguém e dizer que é nosso. Não podemos trocar palavras e rasurar o sentir do próximo. Encontramos inspiração em alguém, na natureza, na vida, mas não temos o direito de copiar sentimentos. Inspiração é uma coisa, xerocar palavras alheias é outra.



    Beijos jogados no ar, sempre!



    [para pegar o selo clique na imagem]



    -

    ResponderExcluir
  9. lindo texto.
    Me sinto bem vindo ao teu blog, gosto daqui.
    Maurizio

    ResponderExcluir
  10. Linda narrativa Dantas, como sempre. Obrigado pelas palavras e pelas imagens.
    Abração.

    ResponderExcluir