26 de junho de 2009

Sensações

Elas chegam sem avisar. Disparam, sufocam, comprimem, apertam, gelam, aquecem, desfalecem. Passam como brisa suave a contemplar o ar ou pesam o ambiente num segundo exato para atingir o constrangimento e se abalar. Recriam o passado, revigoram o recado que foi levado a algum lugar. Reencontram a porta aberta, rebuscam as palavras discretas, abrem fechaduras enferrujadas de algum lar. São amenas e singelas, fortes e repletas, suspendem a emoção de quase flutuar. Interrompem a respiração, entorpecem o âmago, descem escadas num quase escorregão. São crianças travessas, meninos sapecas, meninas dedilhando cordas, tocando violão. Fazem o som da flauta, o cheiro da mata, o gosto da comoção. Desmentem palavras, descortinam ciladas, encobrem o limiar. Ensinam temores, enobrecem amores, enlouquecem nos requintes simples de deitar num ébrio sofá. Seguem a força, testam fraquezas, não se importam onde podem estacionar. Nem mesmo com a razão de se entregar ao balanço do mar. São o que sempre quiseram e, num lero-lero, nem sabem onde parar. Num susto de repente, a dúvida paira ressabiada na busca do que ainda há. Elas, então, apontam firmes. Quase descobrem o limite, esclarecem o semblante e brilham o que não deixaram de ser. Diante da inércia do tocável, compreendem a constante transformação do intocável. Só a partir daí, entendem-se por si só. Reconhecem que não há mudanças do mundo estático ao redor. O que realmente passou foi o que ficou guardado lá dentro e o inexplicável tempo incontrolável...

8 comentários:

  1. muito bom seu teto, assim meio confuso a quem le sem saber, mas é bom cheio de mensagens.

    bjosss...

    ResponderExcluir
  2. Lu, minha amigona!
    Sei bem o que são essas "Sensações".
    Tenho sentido várias recentemente.
    Gostei demais do seu comentário lá no blog. Às vezes mudo um pouco o estilo das minhas postagens, e escrevo (ou tento) externar minhas emoções.
    Afinal, tenho que provar que não sou apenas "um rostinho bonito", não é? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    Pronto, tive uma recaída! rsrsrsrsrs
    Beijãozão!

    ResponderExcluir
  3. *---*xeio de alegriaa, gosteei


    bejos

    ResponderExcluir
  4. esse texto é como pensamentos que vc vai deixando sair. Como pedaços de vida ou de momentos. Gostei.
    Tenha um feliz domingo.
    Maurizio

    ResponderExcluir
  5. Lu,

    Ai, ai... vivo de sentir o que a sensação proporciona ao meu corpo e mente. Desde que passei a amar de verdade, sinto emoções diferenciadas a todo momento. Sabe, adoro seu carinho e sua forma de enxergar o nosso amor. Não é todo mundo que entende o que dois adultos sentem.

    Beijo grande, menina linda.

    Você escreve com a alma!

    Rebeca

    -

    ResponderExcluir
  6. Deixar ir.....sair........ir-se
    e vltar e sentir.
    Bom ,muito bom viver não é?
    Grata pelo comentário lá em "casa"
    Voc~e é sempre certeira.Deve ser pq tem olhos de sentir não é?

    carinho

    Denise

    ResponderExcluir
  7. Já disse que adoooorooo a forma como escreve???
    Pois bem, vc escreve divinamente!!!

    bjinhos

    ResponderExcluir