1 de maio de 2009

Na hora determinada

A apreensão invadiu a calma e o solavanco na alma foi quase inevitável. Momentos, datas, dias, semanas, meses passam diante daqueles olhos fundos e insones. A hora da chegada se aproxima a cada segundo disputado pelo tempo e não há como prever o clamor que pode virar demasiadamente rubor e nostalgia. Aquietou-se em si, solicitou a guarida que lhe era viavél e refugiou-se para recuperar o fôlego. Sossegou. Sentiu o frescor dos anseios que lhe cobiçavam a guarda e desarmou-se por completo. Virou menina. Virou brisa. Recolheu solidão. Desativou o lugarejo distinto que dentro dela reunia mágoas e clareou o olhar que se perdera. Estava liberta de suas próprias impurezas e refeita nas energias dispensadas. Viu-se bela, completa, ativa. Expôs o porquê da vida que escolheu para esperar pelo reencontro que o futuro reservava. E foi aprovada pelos que a cercavam na opção desfeita. No entanto, vivia livre dos olhares alheios que exigiam explicações. Não lhe importavam as análises, ajustes, debilidades. Não aguardava afagos ou gratidão. Queria o mundo no molde desenhado milimetricamente por suas mãos e alçado na altura que cabia. Era seu. Todo seu. Arcaria com o desgosto ou fracasso que viessem a assombrar-lhe. Correria desenfreada para sentir a leveza do vento que acariciaria seu rosto. Saltaria com a alma desnuda num rio sutil que a correnteza carrega. Voaria absoluta nas qualidades que lhe adoçam o peito. Reconheceu-se sensata, revigorada e feliz. Estava ciente do merecimento da vinda não mais precipitada. Era o certo. Era o concreto. Aspirava agora mais do que antes. E voltou toda aquela inquietação que lhe sacudia por dentro. Respirou fundo e confiou no tempo. Ele, amigo ajuizado, seguiria no seu ritmo lento. Sabia que seria tudo em seu momento.

6 comentários:

  1. Nossa, os textos que vc coloca aqui são muito bons!!

    Lu, queria agradecer suas visitas e comentários sempre carinhosos lá no meu blog, pena que estou sem muito tempo para ficar respondendo os comentários ou visitando os amigos, mas gosto muito de receber tuas visitas, tá?!!

    Beijo grande e bom feriadão pra vc! :)

    ResponderExcluir
  2. Será que "ELA" encontrou definitivamente o rumo?
    Bom feriado e aqueeeele Beijo!

    ResponderExcluir
  3. LU DANTAS.

    Você narra com sutil vivacidade os inesgotáveis e incessantes momentos cíclicos da renovaçao do comportamento humano.

    Em seguida, reconhece vendo-se novamente envolta nos percalsos, transtornos e dificuldades que, levam pessoas que nos julgam , a olharem de solaio para as nossas quedas e duvidarem das nossas mais sinceras tentativas de renascimento.

    O que ilunina no texto é a luta hercúlea dos seres humanos , ínfimos perante o que foram no passado, menores ainda do que estão no presente e tentando alcançar no futuro , a consolidação das suas necessecidades e ideais.

    A eterna utopia do ser ideal.

    Estes movimentos cíclicos que são tão mítidos nos seus naturais desejos de mudança e desenvolvimento, pegam a gente de surpresa e é um alerta para a necessidade de seguirmos sua obstinação pelo enriquecimento diário do corpo e princilmente, das metafísicas e escondidas forças de sobrevivência que carregamos dentro de cada um de nós.

    Repare como o sol é igual ao seu texto.

    Ele não se expõe o tempo todo, pois, sabe, o valor que tem dividir a vida , e então dá lugar a Lua, para termos dias e noites.

    E ficam assim, também em eternos movimentos, procurando a melhor
    elipse no espaço, exatamente como vivemos procurando nossa mais digna e merecida posição aqui por baixo.

    É um alerta e uma certeza que devemos estar todos atentos, pois nos faz ter a certeza de que, tal qual o fim da lagarta dá surgimento a vida da borboleta, nossos esforços de procura e aprimoramento, matam nossas cansadas e exauridas lagartas e dão asas as nossas mais belas borboletas.

    Voe Lu.

    A vida está neste texto.

    A teoria você ja sabe.

    Ponha em prática !

    Um abração e agradeço a sua generosa partipação nos meus blogs de humor.

    ResponderExcluir
  4. Conheces a mim?
    Perfeito teu texto, Lú! Descreve-me. A mim e a meu momento.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Esses encontros por um acaso...

    Ah, eu sabia que você conseguiria escrever sobre o assunto. E de uma forma linda! Como sempre, claro.

    Meu beijo!

    Fica bem!

    :*

    ResponderExcluir
  6. Olá, Lu

    Tudo realmente tem o seu tempo para acontecer. Por mais que seja difícil acreditar nisso.

    Bonito texto

    Um braço

    ResponderExcluir