16 de março de 2009

Saber o que se passa no coração seria o ideal para preparar o corpo e a mente para qualquer batida mais forte. Mas as previsões são imprevisíveis quando o assunto é sentimento. Vai da felicidade até a dor em instantes e vice-versa. Alegra e entristece. Sem menos nem mais. O que vai no fundo é o que cedo ou tarde se apresenta incontrolável. No entanto, o controle é até possível. Basta calar. Tentar desviar a atenção e a tensão. Sem falar no tesão. Na maioria das vezes se torna complicado. Quase impossível. Quase inatingível. Praticamente fora de qualquer lógica. Só que em alguns momentos a razão precisa sufocar a emoção. Seguir firme, numa linha reta. Deixar a curva para trás. O encontro vira desencontro quando a vontade não parece recíproca. E a coragem também. É pena deixar passar tanta intensidade. Insaciável. Incansável. Loucamente sem explicação. O lamento de nada adianta. Até porque as decisões nem sempre são definitivas. Pode ir e voltar. Num vai-e-vem indispensável àqueles que buscam a melhor saída. Por isso, num emaranhado louco de sensações, a solução pode ser deixar a poeira assentar, rever os prós e os contras, revirar a alma, sem perder a calma, para tentar chegar a algum lugar.  

Um comentário:

  1. Menina, que coisa mais bonita! Adorei!
    Desviar sentimentos é uma coisa dificílima. Estou passando por isso agora. Mas uma coisa eu sigo à risca: reciprocidade é tudo. Não adianta você querer e o outro não! Mas ás vezes a intenção, atenção, tensão e o tesão é tão grande.. Como pode?

    MEU BEIJO, bonita!

    ResponderExcluir