25 de fevereiro de 2009

Por falar em carnaval, esse foi o carnaval do sorriso. Um risinho aqui, outro ali e gargalhadas quase sem fim. Como rimos e sorrimos. Por uma infinidade de assuntos. Tudo é alegria. Tudo é festa. Tudo é movido por hipérboles. Amigos são amigões. Paixões são mega paixões. Um beijinho vira aquele beijão. E o desejo? Nossa! Esse parece ser o motivo para o fim do mundo, se não alcançado. Na quarta-feira de cinzas, a tendência é voltar a vida ao normal. Desta vez, foi quase tudo. Uma vontade persiste em persistir. Foi aquela não atingida. Ainda. Por enquanto. Talvez seja possível fazer um novo bloco de máscaras para tirá-las de vez. Ou, quem sabe, escolher a Máscara Negra para esconder a insistente timidez que resolveu surgir depois de tanto tempo. Ou até cantar "Vou beijar-te agora, Não me leve a mal, Hoje é carnaval". Não deixe para amanhã o que poderia ter feito no carnaval. Se não puder voltar no tempo, tudo bem. O próximo chegará no ano que vem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário