16 de fevereiro de 2009

No rastro da luz

Hoje foi um dia-girassol. Para quem não entende é o dia de seguir a luz, buscá-la onde quer que esteja. Sem filosofar, toda semana, tenho um dia assim. Por opção, expiação, missão, escolha. É a forma de expurgar o mal que ainda teima em surgir e fazer germinar o bem que guardo em mim. É difícil entender? Talvez. Entende quem pode entender.

Estou me sentindo segura, única, sóbria. Sozinha, mas não solitária. Como diria Lenine, sou Todas elas juntas num só ser. De Teresa de Ben Jor a Linda Flor de Luiz Gonzaga. De Kátia Flávia de Fausto Fawcett a Anna Julia de Los Hermanos. Da Doce Angel de Hendrix a Layla de Clapton. Da carioca de Vinícius a Popozuda do Tigrão. Da Ana do Djavan a Ana do Rei do Baião. Do sol da minha noite a luz do sol da vida. Da gatinha de Erasmo Carlos a honey baby de Waly Salomão. De Rosa e Luz de Pixinguinha a estrela a fulgir do poetinha. Só eu. Mais que tudo e todas. Rainha, musa aqui, apenas eu.

Aquelas que não conhecem ou ainda não ouviram essa música hoje, a sugestão está feita. Já aqueles que nem sabem do que se trata, poderiam tentar descobrir...

Um comentário: